Home
Biografia
Esculturas
Contato
Capela Sistina

Biografia de Michelangelo

Este é o retrato de Michelangelo Michelangelo di Lodovico Buonarroti Simoni nasceu em Caprese, região toscana, província de Arezzo, na Itália em 06 de Março de 1475. A família Buonarroti era de uma linhagem nobre, mas em decadência.

Na época do nascimento de Michelangelo, seu pai, Lodovico di Lionardo Buonarroti Simoni era prefeito na província de Caprese.

Seus irmãs eram cinco, todos do sexo masculino, e Michelangelo era o segundo dentre eles.

Quando tinha 6 anos de idade sua mãe faleceu e ele foi entregue aos cuidados de uma ama de leite onde o pai dela e seu marido trabalhavam como cortadores de mármore na aldeia florentina de Settignano.

Foi ali em Settignano berço do escultor Michelangelo. O menino cresceu nesse ambiente, e com este convívio direto com o mármore, ele teve o seu primeiro contato com o cinzel e o martelo, e pode estudar as diversas técnicas de escultura. Primeiro na rocha comum, como em um teste e depois na prova real com o mármore a chamada "pedra da luz" pelos gregos.

Este ponta pé inicial marcou definitivamente a vida de Michelangelo. Não era possível voltar atrás, a paixão pela escultura desabrochou e o resultado disso podemos ver em suas obras que nos encanta até os dias de hoje. O pai do jovem Michelangelo não concordava com a decisão dele de ser artista, e, algumas vezes ele foi espancado pelo pai causa da profissão que ele queria para si porque na família Buonarroti haviam soldados, porém ele era o primeiro a querer ser artista.

Mas, como era impossível vencer algo que já estava enraizado na vida de Michelangelo, o pai Lodovico (mesmo à contragosto), finalmente optou por encaminhá-lo para Florença, de modo a ser aprendiz na oficina de um pintor, mestre da pintura florentina na época: Domenico Ghirlandaio.

Nesta oficina de Ghirlandaio Michelangelo pode aprender todos os recursos técnicos do ofício de pintar. Uma sólida técnica em pintura de afrescos e domínio da arte de desenhar.

Porém as idéias de arte entre o aprendiz e o mestre eram diferentes.

Michelangelo achava a pintura uma arte limitada, ele queria algo de maior expressão, impacto e monumentalidade. E permaneceu na oficina de Ghirlandaio brevemente, cerca de um ano.

Na vida de Michelangelo existem algumas especulações no que diz respeito a ele ter saído da oficina de Ghirlandaio.

Dizem que Michelangelo deixou a oficina de Ghirlandaio pelas divergências sobre artes entre ambos, ou por que Ghirlandaio logo percebeu que seu aprendiz Michelangelo o superou devido ao seu grande talento e genialidade.

Outro relato diz que Lorenzo de Médici grande mecenas das artes em Florença, poeta e também chamado de "o Magnífico", foi ao atelier de Ghirlandaio procurar aprendizes com aptidão de esculpir. E Lorenzo ficou encantado com o talento do nosso jovem artista, e o escolheu para agregar a sua escola como aprendiz de escultor.

Bem, o fato é que Após sair da oficina de Ghirlandaio em 1489, Michelangelo se encaminha para o Jardim de São Marcos em Florença, a escola patrocinada por Lorenzo de Médici.

Nos jardins do Convento de São Marcos, Lorenzo mantinha esculturas gregas, romanas e clássicas que eram modelos para os aprendizes trabalharem.

Michelangelo morou no palácio dos Médici e lá pode conviver com pintores, filósofos, poetas,escultores,arquitetos e médicos.

Michelangelo se dedicou profundamente ao estudo da obra de grandes mestres do passado: Giotto, Masaccio, Donatello, e dos escultores gregos e romanos.

Penetrou nos segredos dos escultores antigos que sabiam representar a beleza do corpo humano em movimento, com todos os músculos e tendões.

Em pouco tempo dominou tanto o que estudou que não houvesse postura e movimento que ele não pudesse desenhar.

E logo os rumores sobre o artista foram se espalhando, e ele foi comparado aos antigos mestres da escultura e houve também quem dissesse que ele os superava.

Seu primeiro trabalho em relevo aos 15 anos de idade foi a "Madonna da escada".

O mármore perdia a dureza e a solidez nas mãos de Michelangelo.

Corpos nus, orgãos e músculos nascem através de suas mãos que martela com vigor o mármore. Transmitem energia, ganham movimentos que outrora nenhum outro artista pudesse ou se atrevesse a executar.

Aos 17 anos criou o baixo relevo a "Batalha dos Centauros".

Como a fama de Michelangelo foi propagada além dos muros de Florença, em Roma foi requisitado por um banqueiro que lhe encomendou "Baco."

E também em Roma o Papa Júlio II (conhecido mais como guerreiro do que papa) encomenda os serviços de Michelangelo. Primeiro o grandioso mausóleu dedicado ao Papa e depois o tão admirável teto da Capela Sistina para que ele o pintasse.

Michelangelo aceitou logo quanto ao criar as esculturas para o mausoléu de Júlio II, porém quanto a pintar o teto da Capela Sistina não lhe fazia gosto porque se considerava escultor e não pintor. Dizia ter nascido para esculpir e não pintar.

Mas, devido as provocações recebidas por Bramante que era o arquiteto oficial do papa Júlio II , Michelangelo decide pintar o teto da Capela.

O papa e Michelangelo tinham divergências sérias também. O pontíficie queria saber quando Michelangelo terminaria de pintar o teto da capela e ele respondia "quando eu terminar!"

Certa vez ele decide abandonar a pintura e o papa lhe dá uns bofetões no rosto.

Mas estas divergências na verdade eram certa admiração que ambos sentiam um pelo outro.

E assim de criação em criação. Da escultura á pintura, dos desenhos frutos do profundo estudo anatômico com dissecação de cadáveres, Michelangelo dá vida de forma genial as suas obras.

E dá uma aula no teto da Capela Sistina. Uma aula de anatomia. De perfeição e beleza. É um tesouro de inestimável valor.

Com reconhecimento e fama, Michelangelo trabalhou até o fim da vida. Deixou obras fantásticas que marcaram para sempre toda a história da arte, e uma escultura inacabada que viria a ser o seu testamento "Rondanini". E faleceu aos 89 anos de idade em 18 de Fevereiro de 1574 em Roma.

Foram descobertas também poesias de autoria de Michelangelo, mas ele nunca permitiu a publicação destas.

Para dar uma explicação teórica sobre o ofício de esculpir, ele dizia que a figura estava presa no mármore e o que ele fazia era libertar ela. Fazia o esboço no mármore e depois o esculpia, libertando assim a estátua presa.

Na biografia de Michelangelo existem certas especulações em torno de seu temperamento, do relacionamento dele com os outros artistas da época, e até mesmo sobre a sua sexualidade.

O mais importante é que a genialidade de Michelangelo conquista a todos até os dias atuais.

A sua contribuição ao mundo da arte é valiosíssima e ele foi considerado principal expoente do Renascimento.